22 setembro 2009

Aula 012 - Curso Básico de Modos Gregos para Guitarra - Pentatônicas - A "Penta" Dórico

E aí amigos, estudando muito?

Para quebrar um pouco o estudo da diatônica, vamos explicar como surgem as pentatônicas nos Modos Gregos. Esta aula é preliminar, futuramente iremos transcrever todos os desenhos de todas as pentatônicas que nascem de cada Modo Grego.

A "penta" escolhida para inaugurar este subtema não poderia ser outra que não a escala Pentatônica Menor com Sétima Menor (m7). Isto porque esta "penta" é a alma do Blues e consequentemente do Rock. E como a guitarra elétrica foi consagrada graças ao Rock, esta escala não poderia ficar de fora.

Por hora, basta saber que a penta m7 nasce no 2º, 3º e 6º graus (Dórico, Frígio e Eólio).

PENTATÔNICA QUE NASCE DE LÁ MENOR DÓRICO (Am7)

"Linkando" com as aulas anteriores, vamos lembrar que na Aula 003, quando falamos das sonoridades de cada modo comentamos que o dórico é muito usado no Blues e Rock... lembrou? Portanto, execute os exercícios propostos com dedicação que sua habilidade para estes estilos irá se desenvolver bastante.

Vamos continuar trabalhando com a escala maior padrão de Sol Maior, só que pelo 2º grau, ou seja o Modo Dórico.

Antes de apresentar os exercícios, vamos fixar algumas observações teóricas importantes:

I - Na escala de Sol Maior, o Dórico tem as seguintes notas. Como o Dórico é um modo menor, também podemos chamar de Lá Menor Dórico:
A - B - C - D - E - F# - G - A

II - A pentatônica, como o próprio nome sugere, possui 5 (cinco) notas. Mas quais cinco notas são estas. Estas notas não são escolhidas a esmo. Existe regras próprias para isso, nas quais iremos nos aprofundar futuramente. Por hora basta saber que para obtermos a "penta" m7, teremos que suprimir a 2ª (segunda) e 6ª (sexta) notas. Assim a "penta" de Am7, nascida do Lá Menor Dórico (ou simplesmente Lá Dórico, pois todo Dórico será menor) ficará da seguinte forma:
A - C - D - E - G - A
T - 3b - 4 - 5 - 7b - 8 (T) - conforme nomenclatura internacional.

Feitas estas considerações passemos aos exercícios (Se você já estudou todos os desenhos da penta m7, passe para a próxima lição).

Fizemos o seguinte: pegamos estas notas e distribuímos em 2 notas por corda (usando todas as 6 cordas) começando pela nota A; depois usamos o mesmo raciocínio começando pelas demais notas da penta (C, D, E, e G), sempre distribuindo as restantes em 2 notas por corda. Como são cinco notas, obviamente originou 5 (cinco) desenhos. Vamos lá!



Se você deseja se aprofundar mais no tema, adquira o meu eBook MODOS GREGOS GUITARRA: Desvendando Seus Segregos - Vol. I, nele você encontra todos os exemplos aqui demonstrados além de outros exclusivos.

Veja também a demonstração em vídeo:



Um abraço!


Elvis Almeida(Todos os Direitos Autorais Reservados. Divulgue, mas não reproduza sem o consentimento do autor. Ao citar, deverá indicar endereço eletrônico completo e data de acesso, bem como a autoria. Plágios serão tratados com o rigor da Lei.)

12 comentários:

  1. Isso quer dizer que eu posso improvisar em uma bas no tom de Som maior utilizando a penta lá dórico?

    ResponderExcluir
  2. Só mais uma pergunta, se eu tenho uma música no tom de Dm e quero fazer um solo na escala dórica. Eu devo fazer a escala dória em Dm? Se eu quizer por exemplo fazer a escala frígio no tom de Dm devo faze-la em Em?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não... Dm dórico é o segundo grau da escala de Dó maior. Portanto, utilize a escala de C acentuando com as notas da tríade de Dm para atingir a sonoridade dórica.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
    2. Isso quer dizer que em uma progressão em Dó maior eu posso usar:
      JÔNIO em C
      Dórico em D
      Frígio em E
      Lídio em F
      Mixolídio em G
      Eólio em A
      Lócrio em B?

      Excluir
    3. Como disse acima, o que dá a intenção (Jônio, Dórico) são as notas usadas durante a progressão.
      Assim se você tocar a escala de Dó Maior em cima do acorde de Dm você está utilizando a intenção dórica, ou modo dórico.
      Um bom exemplo do que estou falando é a progressão F-G-Dm, repousando no acorde de Dm.
      Se usar a escala de Dó Maior em cima desta progressão, seria Dm Dórico, porque Ré é o segundo grau/modo desta escala.
      Se usar a escala de Fá Maior em cima desta progressão, seria Dm Eólio, porque Ré é o sexto grau/modo desta escala.

      Entendeu?

      Até mais.

      Excluir
    4. Primeiramente gostaria de agradecer a atenção e pedir desculpas pelo incomodo, mas é que quero muito aprender sobre os modos, vejamos:
      Se eu tenho a progressão Dm-F-G, e quero usar um ré lídio por exemplo, eu deveria fazer a escala maior em lá?
      E como no exemplo que vc falou, para soar um D dórico eu devo usar a escala maior de dó? não posso utilizar o shape do modo dórico em D?

      Excluir
  3. "não posso utilizar o shape do modo dórico em D". Pode, mas o que disse é que as notas são usadas no shape dórico de D, são as mesmas notas da escala de Dó. Entendeu?

    Na progressão Dm-F-G, não será possível usar D Lídio, pois o lídio é um modo maior e na progressão o Ré é menor.

    Até mais.

    Elvis Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado acho que entendi, se tiver uma progressão na base de C e quiser usar um dó lídio, posso usar o shape de dó lídio em C ou posso usar o G Jônio pois o C é o 4º Grau da escala de Sol.... Não é isso?
      Gostei muito das suas aulas, vc vende algum material pela internet?

      Excluir
    2. Pode usar os dois shapes. A intenção Lídio será dada pelo uso da escala (notas da tonalidade) de Sol Maior, ou seja, C, D, E, F#, G, A, B.

      Melhor dizendo, os dois shapes G Jônio e C Lídio, possuem estas notas, só muda a ordem.

      Atenciosamente,

      Elvis Almeida

      Excluir
  4. Olá Elvis tenho uma dúvida se o tom da minha música é GM eu posso solar na pentatonica em Bm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim... vai ficar com um som diferente, estilo Fusion.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...